Esclarecimento Metro de Lisboa sobre o Rock in Rio

 

Por motivos de impossibilidade operacional, o Metropolitano de Lisboa durante os dias de realização do evento Rock in Rio (RIR), dias 25 e 26 de maio e 1, 2 e 3 de junho, encerrará o seu serviço às 02:00h, assegurando a última partida da estação Bela Vista cerca da 1:30h.
 

O Conselho de Administração do ML tudo fez para, num quadro de legitimidade gestionária e de legalidade geral, assegurar o prolongamento do seu serviço comercial de transporte até às 4:00h da manhã em cada um daqueles dias (à semelhança das edições anteriores do RIR), tendo sido possível um acordo de princípio com as ORT’s (Organizações Representativas dos Trabalhadores) para a realização do serviço, tendo sido agendadas por aquelas organizações plenários com os trabalhadores da empresa, tendo em vista a respetiva ratificação.
 

Durante a realização desses plenários, alguns trabalhadores do ML, tomaram uma posição extrema, recusando a prestação de qualquer serviço para o Rock in Rio, utilizando formas de pressão totalmente desajustadas, inclusivamente através de ameaças à integridade física, junto daqueles que se disponibilizaram para a realização do serviço.

É de salientar que a Empresa apresentou uma proposta de compensação aos trabalhadores envolvidos na concretização deste serviço como forma de, com justiça e equidade, pagar o trabalho executado em regime excecional por aqueles trabalhadores.

É imperioso dizer que, com esta postura de intransigência inaceitável, que inviabilizou um acordo que era razoável e desejável, a imagem do ML e dos seus trabalhadores sairá fortemente afetada junto da opinião pública, dos seus Clientes e, em particular, daqueles que pretendiam utilizar o ML como meio de transporte para o RIR.

É lamentável também constatar que a Administração do ML tomou conhecimento da decisão dos Plenários através de um Comunicado enviado para Comunicação Social pelas ORT’s, num total desrespeito pela normal relação que deve ser preservada entre entidades responsáveis.

Por outro lado e não obstante termos consciência de que a não concretização do serviço de transporte que tínhamos previsto realizar, é muito penalizadora para a Imagem da empresa e que daí resultarão dificuldades acrescidas de mobilidade e desnecessários estrangulamentos no funcionamento da Cidade, tal facto não justifica a cedência a exigências descontextualizadas, em particular quando se pede a todos sacrifícios e contenção e o número de portugueses com dificuldades financeiras cresce.

Aos Colaboradores do ML é nesta data exigido, tão-somente e de forma legítima, o desempenho das funções para as quais estão contratados pela Empresa, mediante o correspondente pagamento do trabalho efetuado e em situações excecionais, como a presente, mediante o pagamento da justa compensação.

O Conselho de Administração, lamenta a falta de sentido de cidadania e de respeito pelos Portugueses evidenciado por alguns trabalhadores neste momento, estando convicto que existe um tempo para lutar e um tempo para parar, pondo em lugar de destaque o interesse e o futuro da empresa, fonte de estabilidade e de trabalho para muitos dos que hoje tomam estas inexplicáveis posições.

Por isso e certos da justeza da nossa posição, não aceitamos chantagens e tudo faremos para defender de forma intransigente a Imagem e a credibilidade do ML e o seu futuro, rejeitando liminarmente atitudes irresponsáveis, oportunistas, ou de pressão, que mais não terão como resultado que o afastamento de Clientes e a descredibilização da empresa enquanto parceiro de mobilidade da cidade de Lisboa. Não deixaremos, ainda, de salientar que alguns trabalhadores se disponibilizaram para assegurar o serviço de transporte em causa, mas as pressões ilegítimas e as ameaças de que foram alvo tornaram tal disponibilidade inviável. Lamentamos esta postura de quem, pretensamente, defende os seus próprios direitos e ficámos a saber que esta defesa se circunscreve aos que apenas pensam como eles. Singular Democracia esta que praticam.

Face a tudo o que atrás se referiu, informamos que nos dias 25 e 26 de Maio e 1, 2 e 3 de Junho a passagem do último comboio na estação Bela Vista efetuar-se-á, nos dois sentidos pela 01:30h, encerrando a estação de Bela Vista cerca da 1:20h.

As restantes linhas manterão os horários em vigor, partindo a última circulação de cada um dos términos à 01:00h. 

Todos os títulos válidos para a rede do Metropolitano de Lisboa poderão ser utilizados nas deslocações de e para o Festival do Rock in Rio. No entanto, para quem não dispuser de título válido e para facilitar as deslocações, evitar demoras e filas desnecessárias, o ML recomenda a aquisição antecipada nas estações dos títulos de transporte.

Durante a realização do evento, o ML irá também reforçar os serviços de apoio ao cliente e de informação ao público, para além do reforço de vigilância, procurando corresponder, da melhor forma possível, às expectativas dos seus clientes. Deverão ser seguidas as instruções difundidas pelas autoridades no local, nomeadamente agentes ML e PSP.