Lugar à Dança no Metro

 

O Metro abre as portas da estação Cais do Sodré para acolher uma das performances da programação do Lugar à Dança, um festival de entrada livre movido pelo interesse em promover a dança contemporânea e as artes performativas em espaços públicos.

O espetáculo intitula-se de Les Ponctuels e consiste num trabalho da Compagnie Antipodes que interroga-se em que se tornam os indivíduos que subitamente perdem o tempo imposto. Terão sucesso em levar tempo para o fazer? E porquê fazê-lo? Parece-nos interessante pôr essa interrogação em perspectiva com os trabalhadores precários que, dia e noite, devem apreender um novo tempo. 

Les Ponctuels realiza-se amanhã, dia 06 de julho, na zona da fonte da estação Cais do Sodré, pelas 18h00.

Conceito Artístico A cronobiologia ensina-nos que o nosso tempo interior, o tempo subjectivo, é muito diferente do tempo físico que regula a organização das nossas sociedades. Para os nossos contemporâneos, sem que eles o saibam realmente, é o relógio atómico de Césio 133 que permite desde 1967 definir O Segundo. Portanto, toda a nossa estrutura social não é coerente nem com as restrições biológicas, nem com os fenómenos físicos à nossa escala, mas é subordinada a um fenómeno microscópico, que somente poucos especialistas conseguem apreender.

Direcção Artística, Coreografia e Encenação: Lisie Philip Música: Mathieu Geghre;
Interpretação: Guillaume Suarez-Pazos, Moréna Di Vico e Raphaël Thiers;
Duração: aproximadamente 18 minutos;
Co-produção entre Vo’Arte e Metropolitano de Lisboa.