• Link para a versão em inglês do site do Metro
    Imagem com os logotipos da Carris e da Transtejo Link para o site Carris  (abre numa nova janela) Link para o site Transtejo (abre numa nova janela)

Condições de acessibilidade do Metropolitano de Lisboa

 

Na sequência das notícias publicadas sobre as condições de acessibilidade do Metropolitano de Lisboa a pessoas com deficiência e mobilidade condicionada, a administração do Metropolitano de Lisboa vem por este meio esclarecer o seguinte:

  • O Metropolitano de Lisboa tem em curso um Programa de Adaptação da sua infraestrutura a pessoas de mobilidade condicionada, no âmbito do Plano Nacional de Promoção de Acessibilidades, tendo já concluído as obras de adaptação da estação de Alvalade.
     
  • Ao abrigo deste programa, estão, também, em fase de conclusão diversas obras de adaptação nas estações do Areeiro, Colégio Militar, Baixa-Chiado e Roma.
     
  • Em 2011 e 2012, o Metropolitano de Lisboa adotou medidas que permitiram melhorar os índices de operacionalidade dos acessos mecânicos (elevadores, escadas e passadeiras mecânicas).
     
  • Saliente-se que, em 2011, o Metro apresentou um índice de disponibilidade de equipamentos de 98,85% no que respeita às escadas mecânicas e de 96,33% para os elevadores.
     
  • No que respeita aos elevadores e escadas mecânicas atualmente avariados, foi recentemente assinado um contrato de reparação, pelo que se prevê que estes equipamentos fiquem operacionais muito rapidamente.
     
  • O Metropolitano tem previsto, apesar dos atuais constrangimentos económico-financeiros, ter 100% das estações adaptadas a acessibilidade de pessoas de mobilidade condicionada até 2020.
     
  • O ML dispõe de um plano de evacuação de emergência – Plano Organizacional de Gestão de Situação de Emergência (POSGE) – que, não contempla apenas a evacuação de passageiros com necessidades especiais, mas abrange todos os seus clientes, dispondo, ainda, de normas específicas relativas aos diversos tipos de evacuação. As normas regulamentares constantes do POGSE permitem garantir os níveis de segurança e de funcionamento da estrutura do ML.
     
  • O Metropolitano de Lisboa é também um dos poucos metros que dispõe de plataformas metálicas motorizadas que são facilmente montadas e que permitem transportar pela via pessoas de mobilidade reduzida, permitindo a rápida evacuação em galeria, em situação de emergência, de passageiros em cadeiras de rodas.
  • No que respeita às estações, o ML tem, também, planos de evacuação definidos e amplamente testados.

Importa, ainda, referir que a acessibilidade e segurança dos seus clientes é uma preocupação diária da empresa.

Em termos internacionais, o ML no domínio da “Acessibilidade e Segurança para Passageiros Idosos, Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida” está colocado numa situação idêntica à dos metros de Barcelona, Madrid, Pequim, Sydney, Santiago do Chile, Singapura e Toronto, conforme tem sido evidenciado no âmbito de vários estudos desenvolvidos pelo Imperial College of London.

 
© 2017 Metropolitano de Lisboa, E.P.E.