• Link para a versão em inglês do site do Metro
    Imagem com os logotipos da Carris e da Transtejo Link para o site Carris  (abre numa nova janela) Link para o site Transtejo (abre numa nova janela)

CARRIS e METRO |Nova metodologia para a procura

 

Em 2014, todos os títulos de transporte válidos na área metropolitana de transportes de Lisboa foram completamente desmaterializados, passando as validações nos sistemas de bilhética dos diversos operadores a traduzir os passageiros transportados de forma mais consentânea com a realidade.

Encontram-se, assim, reunidas as condições que permitem efetuar a transição para uma nova metodologia de determinação dos passageiros com título de transporte pago (passes e títulos ocasionais), assente exclusivamente nas validações registadas pelos seus sistemas de bilhética, pelo que a CARRIS e o METRO irão proceder à aplicação desta metodologia a partir do próximo dia 1 de janeiro de 2015. No caso da CARRIS adicionam-se as tarifas adquiridas a bordo.

Também o Tribunal de Contas recomendou à CARRIS e ao METRO que procedam à divulgação da sua procura com base nas validações registadas, informação que só agora se torna possível produzir pelas razões acima apontadas.

Por outro lado, foi divulgado pela Autoridade Metropolitana de Transportes de Lisboa um relatório, produzido em setembro de 2013, com base numa avaliação no terreno efetuada em maio desse ano, que teve como objetivo determinar para alguns operadores da área metropolitana de Lisboa a fraude real, permitindo, no caso da CARRIS, identificar a fraude corrigida, ajustando-a mensalmente em função da evolução da fraude detetada pela empresa nas ações de fiscalização. No caso do METRO, este relatório não aborda tão pormenorizadamente a sua realidade pelo que se mantém o método que vem sendo utilizado para determinação da fraude.

Esta nova metodologia é mais um contributo decisivo para a transparência e melhoria da informação respeitante à procura dos operadores CARRIS e METRO que, até à data, tem sido disponibilizada através de cálculos realizados por método estatístico, a partir das vendas mensais e de coeficientes de repartição das receitas, determinados por inquéritos à sua utilização, realizados, respetivamente, em 1989 e em 2007.

 
© 2012 Metropolitano de Lisboa, E.P.E.
 Mapa do Site    Simbolo da acessibilidade na webD