• Decrease
  • Increase

Plano de desenvolvimento operacional da rede

 

O Metropolitano de Lisboa (ML) anunciou no dia 08 de maio o novo Plano de Desenvolvimento Operacional da Rede. Nesta cerimónia, presidida pelo Senhor Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, e que contou com a participação do Senhor Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes e do Senhor Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, foi apresentado o Plano que prevê três eixos de intervenção, que visam melhorar a condição de funcionamento do sistema metro em Lisboa.

1) Prolongamento Rato/Cais do Sodré

Até o final de 2021 o Metropolitano de Lisboa passa a contar com mais duas estações:
– Estrela (junto ao antigo Hospital Militar)
– Santos (junto ao edifício do Batalhão dos Sapadores de Lisboa)
Estas estações vão ligar as linhas Amarela e Verde, criando, desta forma, um anel de circulação central na cidade, entre o Campo Grande, Rato e Cais do Sodré, onde estão previstas circulações de seis carruagens, com intervalos nas horas de ponta de 3 minutos e 40 segundos.
Quando concluída esta extensão, a linha Verde fica fechada num círculo e a linha Amarela fica limitada ao troço Telheiras/Odivelas.
O início das obras de intervenção deste prolongamento estão previstas para 2019.
O custo previsto desta obra é de 216M€, com recurso a fundos comunitários e a empréstimos do Banco Europeu de Investimento (BEI).

2) Ligação Pedonal Rato/Amoreiras

Prevê-se avançar com a construção de uma ligação pedonal da estação Rato às Amoreiras (Pç. Santa Isabel). Trata-se de uma extensão subterrânea de cerca de 300 metros, com elevadores e passadeiras rolantes, ao longo da Av. D. João V.
Esta ligação tem um investimento previsto de cerca de 15,6 M€.

3) Reabilitação das estações Arroios, Areeiro, Baixa Chiado, Olivais e Colégio Militar

A curto prazo o Metro avança com a reabilitação de várias estações, incluindo Arroios que será encerrada no próximo mês de julho, de forma a permitir acolher seis carruagens na linha Verde.
Estão ainda previstas intervenções no Areeiro, Baixa-Chiado, Olivais e Colégio Militar/Luz, sobretudo ao nível da melhoria das acessibilidades destas estações e modernização dos equipamentos mecânico das mesmas.
Este eixo de intervenção implicará um esforço financeiro de 16,2 M€.

Adicionalmente a todo este plano de investimento, o ML encontra-se empenhado em continuar a melhorar o serviço prestado. Para tal:

a) Admissão de 30 novos Agentes de Tráfego;
b) Reforço das equipas de manutenção, através da admissão de 22 trabalhadores para essa área;
c) Aumento do número de maquinistas com reforço imediato de mais 10 trabalhadores;
d) Aquisição de 33 novas composições, cujo investimento se estima em 50 milhões de euros.

Um Metro mais perto do Cliente