• Decrease
  • Increase

Sede Social

Imagem da fachada lateral do edifício da sede social, sito na avenida fontes pereira de melo, 22, junto à estação picoasImagem do edificio da sede social do metro, sito na avenida fontes pereira de melo, junto à estação picoas

 

O imóvel Sede Social do Metropolitano de Lisboa, sito na Av. Fontes Pereira de Melo, em Lisboa, foi projetado pelo Arquiteto Norte Júnior para um rico capitalista com fortuna do Brasil, de nome José Maria Moreira Marques.

Popularmente alcunhado como “bolo de noiva” pela sua decoração exuberante, recebeu o Prémio Valmor de 1914.

 

Em 1950, o edifício foi vendido à Câmara Municipal de Lisboa pelos descendentes do seu proprietário tendo sido arrendado, em 1954, ao Metropolitano de Lisboa que transferiu a sua Sede Social para essas instalações em finais desse ano, tendo adquirido em 1999 a propriedade do imóvel.

 

Ao longo dos anos, o edifício tem sido considerado um notável “museu” das artes decorativas do início do século. O seu exterior, ostenta elementos de inspiração clássica, neo-clássica e arte nova, como é o caso das portas, janelas e marquises.

 

Todo o seu interior foi alvo de uma notável distribuição divisionária. Na cave localizavam-se a cozinha e a despensa, os alojamentos dos empregados e, onde atualmente se encontra a Biblioteca, existia um ginásio destinado às crianças.

 

No rés do chão situavam-se os salões principais e sociais, como a Sala de Música, a Sala de Fumo e o Salão Nobre, hoje utilizada como sala de reuniões, onde se destaca a beleza da tela que representa Vénus no Olimpo.

 

No 1º andar encontravam-se os quartos de dormir, a sala das crianças uma sala de banho e toiletes. O edifício possui, ainda, um elevador de origem, de fabricação alemã e que se encontra em pleno funcionamento.

 

Decorado com madeiras raras e de primeira qualidade provenientes do Brasil, gessos pintados a folha de ouro, aguarelas e frescos já muito apreciados naquela época, o palacete foi, desde sempre, considerado como um imóvel de uma enorme e invulgar riqueza.

 

O edifício Sede Social do Metropolitano de Lisboa, incluindo as áreas do antigo jardim, anexo residencial e garagem, foi classificado como Imóvel de Interesse Público em 2002.

 

A Empresa tem realizado diversas obras de conservação e beneficiação, incluindo a restauração das pinturas na sua traça original, que em muito contribuíram para a preservação deste património à sua guarda, cujo valor cultural e interesse público vieram a ser reconhecidos pela classificação efetuada.