Comunicar
COVID-19: informação institucional
Banner - desinfeção no Metro

Transportar
com segurança
é a nossa prioridade

#metroseguro

O Metropolitano de Lisboa continua a assegurar o transporte de passageiros nos termos do contrato de serviço público em vigor e a monitorizar a situação, no âmbito do seu Plano de Contingência.

A empresa tem implementado, desde março de 2020, uma série de medidas com vista à prevenção e redução de risco de contaminação e contágio da COVID-19.

 

Como medida adicional, ainda foi criada esta página dedicada aos órgãos de comunicação social, à comunidade de trabalho do Metropolitano de Lisboa, ao público em geral e aos stakeholders.

O objetivo é sistematizar todas as ações já desenvolvidas e tornar públicos os dados e estatísticas de utilização do Metro, aumentando a transparência da empresa perante a sociedade.

Para mais informações, consulte os comunicados de imprensa.

Última atualização: 13.09.2021

Ponto de situação

Na lista abaixo, é possível consultar o estado atual de cada medida que o Metropolitano de Lisboa tem implementado face à pandemia.

Oferta a partir de 8 de abril de 2021

O Metropolitano de Lisboa vai manter a mesma oferta atual, encontrando-se a monitorizar em permanência o fluxo de passageiros, especialmente nas horas de ponta, com vista a ajustar a oferta em função da procura, se tal se vier a verificar necessário.

Desde 8 de abril, a linha Verde circula com comboios de 6 carruagens durante todo o horário de exploração.

Desde o primeiro confinamento, não foram identificadas situações em que tenha sido ultrapassado o limite de 66% de carga dos comboios.

Limpeza e desinfeção das estações e comboios

O Metropolitano de Lisboa, no âmbito do seu Plano de Contingência, já tem implementado, desde março de 2020, uma série de medidas com vista à prevenção e redução de risco de contaminação e contágio da COVID-19, designadamente reforço das medidas de limpeza e ações de limpeza higienização por nebulização elétrica nas estações e comboios, com especial incidência nas superfícies de contacto dos passageiros através das aplicação de um produto com uma ação biocida prolongado por 30 dias.

Ainda no âmbito da limpeza, a empresa tem vindo, igualmente, a reforçar desde março a limpeza normal no  interior dos comboios em circulação, no período compreendido entre a hora de ponta da manhã e a hora de ponta da tarde, em todas as linhas, e nas estações.

Controlo de lotação dos comboios

O Metropolitano de Lisboa sensibiliza diariamente os seus clientes para se distribuírem no interior dos comboios e não se aglomerarem somente na primeira ou última carruagem, visto que os clientes têm tendência para se posicionarem nas pontas dos cais de embarque. Os clientes, especialmente nas estações de correspondência com outros meios de transporte, são constantemente informados para se espalharem ao longo do cais de embarque de forma a entrarem nas carruagens intermédias que se encontram mais vazias e, caso seja necessário, que devem esperar pelo comboio seguinte, no sentido de se manterem os distanciamentos de segurança recomendados. Para o efeito, a empresa tem, igualmente, contado com apoio da PSP e de vigilantes da equipa de segurança da rede.

O Metro tem efetuado, ainda, a programação dos níveis de oferta face a evolução da procura, procurando garantir uma taxa de ocupação relativamente baixa e inferior aos 2/3 da capacidade máxima permitida (ou 66%) para continuar a manter a possibilidade de distanciamento social recomendado e continuará, igualmente, a reforçar as ações de  limpeza do material circulante, das estações e equipamentos.

A empresa continuará a monitorizar e a acompanhar ativamente o evoluir da procura e a efetuar os ajustamentos da oferta tidos por necessários, adotando as medidas que, a cada momento, se vierem a considerar as mais adequadas para garantir as melhores condições de transporte, saúde e de segurança.

Higienização e desinfeção certificadas

Numa parceria estabelecida com a SGS, entidade competente e independente, o Metropolitano de Lisboa viu reconhecida a eficácia da higienização e da limpeza das suas estações e do material circulante numa auditoria que verificou os procedimentos de contingência adotados pela empresa face ao atual surto da COVID-19 para defesa da saúde pública dos seus trabalhadores e clientes.

A auditoria envolveu a análise dos produtos utilizados, a metodologia e frequência das ações de higienização, bem como os ensaios de carga biológica e por marcação fluorescente, na totalidade das estações e composições do Metro, confirmando, assim, que o Metropolitano de Lisboa é um operador de transporte higienizado e seguro, e que todos podem viajar com confiança.

Foi dada, igualmente, especial atenção aos pontos mais críticos, como sejam as máquinas de venda de títulos de transporte, validadores, corrimãos das escadas mecânicas e pedonais, elevadores, varões, pegas das composições e todos os locais em que se verifica um maior contacto por parte dos clientes do Metro.

Estando confirmado pela SGS que os procedimentos adotados pelo Metropolitano de Lisboa cumprem com os requisitos de higiene e segurança, está afixado nos comboios e nas estações o selo “Viaje com confiança”, que atesta que as viagens no Metro são seguras.

Melhoria na informação de viagem

Foi implementada sinalética de distanciamento social e de utilização dos equipamentos de proteção individual, em corredores, linha de canais e pavimento de cais nas estações de maior movimento e efetuado um reforço da comunicação em todos os suportes informativos existentes nas estações (mensagens sonoras, escritas, cartazes e rede Tomis), site e redes sociais do Metropolitano de Lisboa.
A empresa lançou, ainda, várias campanhas de comunicação sensibilizando para o uso e para a manutenção do distanciamento de segurança nos átrios, elevadores e comboios, bem como para o cumprimento das regras de utilização do Metro.

Investimento contínuo nos transportes públicos

Existe um crescente número de estudos a comprovarem que o risco de transmissão do coronavírus nos transportes públicos é reduzido. Segundo relatório da União Internacional dos Transportes Públicos sobre esta matéria, os principais fatores de contingência para a redução da transmissão são utilização de máscara, desinfeção de superfícies e boa ventilação. Conforme já referido, o Metropolitano de Lisboa tem vindo a aplicar todas essas medidas desde o início da pandemia de forma a priorizar a segurança do serviço e reforçar a confiança junto aos seus clientes.
Acreditamos que o transporte público continua a ser essencial, seguro e benéfico para as cidades. Continuamos a investir no transporte público e a promover a mobilidade sustentável, tendo sempre em vista o aumento progressivo da descarbonização e redução de emissões de COnos termos do Green Deal.

06.09.2021 – 10.09.2021

1.443.757

validações

+13%

face a 2020

-48%

face a 2019

15,7%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

19%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

30.08.2021 – 03.09.2021

1.311.993

validações

+10%

+9%

face a 2020

-49%

face a 2019

14,1%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

17,4%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

23.08.2021 – 27.08.2021

1.177.834

validações

+10%

face a 2020

-48%

face a 2019

12,7%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

15,6%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

16.08.2021 – 20.08.2021

1.185.254

validações

+14%

face a 2020

-48%

face a 2019

12,5%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

15,5%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

09.08.2021 – 13.08.2021

1.195.154

validações

+12%

face a 2020

-50%

face a 2019

12,5%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

15,4%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

02.08.2021 – 06.08.2021

1.188.771

validações

+12%

face a 2020

-53%

face a 2019

13%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

15,4%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

26.07.2021 – 30.07.2021

1.227.501

validações

+15%

face a 2020

-53%

face a 2019

14,4%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

16%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

19.07.2021 – 23.07.2021

1.237.502

validações

+18%

face a 2020

-53%

face a 2019

13,9%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

16,4%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

12.07.2021 – 16.07.2021

1.263.005

validações

+21%

face a 2020

-53%

face a 2019

14,4%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

16,7%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

05.07.2021 – 09.07.2021

1.274.856

validações

+23%

face a 2020

-54%

face a 2019

14,8%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

18,1%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

28.06.2021 – 02.07.2021

1.301.472

validações

+29%

face a 2020

-54%

face a 2019

15,2%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

16,7%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

21.06.2021 – 25.06.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

14.06.2021 – 18.06.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

07.06.2021 – 11.06.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

31.05.2021 – 04.06.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

24.05.2021 – 28.05.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

17.05.2021 – 21.05.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

10.05.2021 – 14.05.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

03.05.2021 – 07.05.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

%

taxa de ocupação
hora de ponta da manhã

%

taxa de ocupação
hora de ponta da tarde

26.04.2021 – 30.04.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

19.04.2021 – 23.04.2021

validações

%

face a 2019

%

face a 2020

12.04.2021 – 16.04.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

05.04.2021 – 09.04.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

29.03.2021 – 02.04.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

22.03.2021 – 26.03.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

15.03.2021 – 19.03.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

08.03.2021 – 12.03.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

01.03.2021 – 05.03.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

22.02.2021 – 26.02.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

15.02.2021 – 19.02.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

08.02.2021 – 12.02.2021

validações

%

face a 2020

%

face a 2019

Procura
e receita em 2020

%

diminuição de passageiros face a 2019

A pandemia COVID-19 originou uma quebra de procura e receitas muito significativa à esmagadora maioria das empresas do tecido empresarial nacional. Constatou-se uma quebra nas validações acumuladas a dezembro de 2020 de cerca de 51%, representando aproximadamente 88 milhões de validações a menos, face a 2019.

%

quebra de receita
face a 2019

A receita tarifária sem pagamentos por conta efetuados pela AML apresentou uma quebra de 50%, representando cerca de 56 milhões de euros a menos face a 2019. Considerando os pagamentos por conta, a quebra na receita atingiu os 27%, representando, em termos absolutos, 32 milhões de euros a menos, face a 2019.

Apesar desse quadro desfavorável…

 

Desde o primeiro confinamento, não foram identificadas situações em que tenha sido ultrapassado
o limite de 66%
de carga dos comboios.

Assim, o Metropolitano de Lisboa tem conseguido manter a taxa de ocupação dos comboios relativamente baixa.

Muito raramente é ultrapassada a carga limite de 66%, que geralmente ocorre na sequência de avarias ou de imprevistos não colmatáveis a nível dos recursos humanos.

Devido à natureza dos serviços essenciais que assegura à comunidade, o Metropolitano de Lisboa nunca deixou de operar e prestar o seu serviço público durante a pandemia.

A empresa espera que ao longo de 2021 se assista uma progressiva normalização do uso de transporte público decorrente, entre outros fatores, da implementação do plano de vacinação da população ao longo dos próximos meses. Da parte do Metro,
manter-se-á o compromisso de promover a mobilidade urbana, sanitariamente segura e ambientalmente sustentável.

Mensagem
do Ministro do Ambiente
e da Ação Climática

Eng.º João Pedro Matos Fernandes
Janeiro de 2021

Mensagem
do Presidente
do Conselho
de Administração

Eng.º Vitor Domingues dos Santos
Janeiro de 2021