Informar
Investimentos e projetos na rede

O Plano de Expansão da empresa prevê o prolongamento da estação Rato (da linha Amarela) à estação Cais do Sodré (da linha Verde) com duas novas estações: Estrela e Santos.

Este prolongamento, para além de servir áreas da cidade de Lisboa anteriormente não cobertas pelo Metropolitano de Lisboa reforça, de uma forma expressiva, a oferta dos atuais e potenciais utilizadores de transporte coletivo que se deslocam entre Lisboa e Cascais, na margem Norte da AML, e entre Lisboa e Almada/Seixal/Montijo, por estes concelhos disporem de ligações diretas ferroviárias e fluviais ao Cais do Sodré. Este novo troço melhora a acessibilidade, a conectividade e promove a redução dos tempos de deslocação em transporte público.

Investimento:

210,2 M

Diagrama da rede da nova expansão (ligação Rato - Estrela - Santos - Cais do Sodré)

Nova estação Estrela

Diagrama da localização da futura estação Estrela

A futura estação ficará localizada na Calçada da Estrela, em frente à Basílica da Estrela, com acesso na extremidade Sul do Jardim da Estrela.

Nova estação Santos

Diagrama da localização da futura estação Santos

A futura estação ficará localizada a Poente do quarteirão definido pela Av. D. Carlos I, Rua das Francesinhas, Rua dos Industriais e Travessa do Pasteleiro. Disporá de 2 acessos: um na Av. D. Carlos I (no gaveto com o Largo da Esperança) e o outro na Travessa do Pasteleiro.

Remodelação da estação Cais do Sodré

Diagrama das alterações a serem feitas no Cais do Sodré

Criação de um novo átrio Poente na estação com novos acessos:

  • Exterior para a zona do Mercado da Ribeira
  • Nova ligação às linhas da CP

Remodelação da estação
e viadutos do Campo Grande

Diagrama dos viadutos do Campo Grande
  • Expansão da estação Campo Grande para Poente
  • Construção de viaduto de 158 m na futura linha Verde
  • Ligação da linha Amarela à estação Telheiras
  • Construção de viaduto de 428 m na futura linha Amarela Odivelas/Telheiras

Material circulante

A aquisição de 14 novas unidades triplas vai melhorar a oferta de comboios e serviços do Metro, permitindo mais conforto e acessibilidade para os clientes, bem como um sistema de comunicação com os clientes que vai permitir informação variável e flexível e sistemas de segurança e vídeo vigilância mais modernos.

Investimento:

67,6 M

Imagem renderizada do exterior do comboio da nova geração do Metro

Sistema de sinalização

A aposta nos novos sistemas Communications-Based Train Control (CBTC), substituindo um sistema obsoleto da década de 70, vai permitir um controlo contínuo do movimento dos comboios e um aumento da frequência e da regularidade dos mesmos, garantindo, de um modo mais eficaz, a oferta de comboios em número e frequências mais adaptados às necessidades do serviço público e com segurança acrescida.

Investimento:

68,9 M

Acessibilidades

Acessibilidades

Com vista ao cumprimento das várias obrigações do Metro em matéria de acessibilidades, irão ser iniciados os procedimentos para a futura instalação de elevadores nas seguintes estações: 

Objetivo

%

das estações com equipamentos para pessoas de mobilidade reduzida.

Realizado

71,4% das estações do Metro possuem acessibilidade plena.

40 das 56 estações existentes já possuem acessibilidade plena.

Manutenção preventiva

Manutenção preventiva

O Metropolitano de Lisboa efetua, periodicamente, trabalhos de manutenção preventiva no âmbito do tratamento de patologias e reforço das estruturas das suas estações.

Próximos trabalhos

Para além das obras de manutenção habitualmente desenvolvidas nas estações, estão previstas intervenções nas seguintes estruturas:

  • Viaduto Olaias – Bela Vista
  • Viaduto Odivelas – Calçada de Carriche

Para mais informações, consulte a página Trabalhos em curso.