O Metro transporta diariamente milhares de passageiros e gere um imenso número de instalações e equipamentos aos quais importa garantir o máximo de segurança possível. É com base nesta premissa que o Metro tem vindo a realizar vários simulacros com o objetivo de testar e avaliar os procedimentos de emergência constantes no Plano de Emergência Interno.

Para além de cumprirem os requisitos legais, no Metro, os simulacros permitem testar a operacionalidade do plano de emergência interno, promovendo rotinas de comportamento e atuação nos procedimentos estabelecidos entre estações, equipas de vigilância, posto de comando central e meios de socorro. São exercícios que envolvem uma estreita articulação com as forças de proteção civil e de segurança interna que se seguem, de forma a garantir maior capacidade de intervenção no Metro:

  • Regimento Sapadores Bombeiros;
  • Bombeiros Voluntários;
  • Policia Segurança Pública/Divisão de Segurança a Transportes Públicos;
  • Unidade Especial de Policia.

” São viagens a futuro que não desejamos vir a conhecer, onde se experimentam e treinam situações complexas para que, se um dia o viermos a viver, aquelas situações nos sejam familiares, porque já lá estivemos, no passado, e as experimentámos, tirámos lições, introduzimos correções e ficámos melhores do que éramos. “

José Goulão Marques

Para maximizar os efeitos benéficos, os simulacros no Metro têm sido realizados de forma a contemplar diversos cenários de ocorrências de emergência, com gravidades distintas, abrangendo o maior número de situações e pessoas possível.

Conheça na listagem que se segue, os simulacros recentemente realizados no Metro:

  • Praça de Espanha | foco de inêndio em área técnica;
  • Alfornelos | resgate de passageiro do elevador;
  • Alameda | Evacuação de lojistas;
  • Saldanha (linha Vermelha) |  Foco de incêndio;
  • Rossio | Ocorrência de inundação;
  • Marquês de Pombal (linha Amarelo) | foco de incêndio no gabinete da operação;
  • Olivais | resgate de passageiro do elevador;
  • Areeiro | resgate de passageiro do elevador;
  • Saldanha | foco de incêndio na sala de baterias;
  • Reboleira | incêndio num ventilador.
  • Encarnação | Odor desconhecido no subcais;
  • Picoas | Foco de incêndio numa sala de recolha de resídos;
  • Terreiro do Paço | Foco de incêndio no quadro elétrico das escadas mecânicas;
  • Bela Vista | Foco de incêndio numa sala técnica;
  • Roma | Resgate de Cliente preso num elevador;
  • Campo Pequeno | foco de incêndio numa loja;
  • Moscavide | Foco de incêndio no ventilador;
  • Lumiar | Foco de incêndio no quadro geral de baixa tensão;
  • Laranjeiras | Foco de incendio no quadro geral de baixa tensão e evacuação de edifício;
  • Baixa-Chiado | Foco de incêndio no quadro elétrico de um ventilador;
  • Parque | Foco de Incêndio numa escada rolante;
  • Martim Moniz | Foco de incêndio num quadro geral de baixa tensão;
  • Quinta das Conchas | Foco de incêndio no quadro elétrico de um ventilador;
  • Chelas | Resgate de cliente retido num elevador;
  • Intendente | Foco de Incêndio no motor de uma escada rolante;
  • Entre Campos | Foco de incêndio num Quadro de Baixa Tensão;
  • Jardim Zoológico | Líquido desconhecido com cheiro estranho;
  • Oriente | Foco de incêndio no subcais;
  • Alvalade | Líquido desconhecido espalhado no Átrio;
  • Ameixoeira | Desabamento de cobertura;
    Queda em altura e resgate em grande Ângulo;
  • Colégio Militar/Luz | Cheiro estranho no cais de embarque;
  • Cabo Ruivo | Foco de incêndio num Quadro de Baixa Tensão;
  • Telheiras | Elevador exterior parado entre pisos com clientes retidos.