O Metropolitano de Lisboa associou-se ao festival NEXT STOP , projeto de intervenção cultural na cidade e em quatro estações de Metro, implantadas no eixo
Martim Moniz / Arroios.  De 28 a 30 de Março, o Metro acolheu o Next Stop para trazer a arte ao tempo de espera, desafiando um local de passagem a transformar-se num espaço de celebração da diversidade.

Das 77 propostas artísticas recebidas por intermédio de um processo de candidatura pública, foram seleccionados 24 projectos, de natureza individual e colectiva, nos campos das Artes Performativas, Música, Artes Visuais e Multimédia, concebidos e desenvolvidos por 60 artistas, provenientes de 15 países diferentes. No conjunto destes processos criativos participam cerca de 250 pessoas, de 44 nacionalidades distintas, oriundas das comunidades locais.

O Next Stop promove o acesso à cultura e leva a arte ao encontro das pessoas neste espaço público que é o Metropolitano de Lisboa. E não se fala apenas do acesso como público — que alguns vêem como garantido, mas que não é assim tão simples para estas comunidades — mas também como autores do objecto artístico. Leva-se esta ideia ainda mais longe, abrangendo quem nunca pensou ser nem uma coisa nem outra, mas que, ao ser envolvido nos projectos participativos, descobre que a arte pode ter um papel na sua vida.

Festival:
De 28 a 30 de mar.

Galeria:

De 28 de mar. a 24 jul.

Estações:

Martim Moniz
Intendente
Anjos
Alameda

Mais info:
www.nextstop.pt/

Rostos do Mundo

Pintura sobre tela
Estação: Intendente / Átrio Sul (Nascente)
Concepção e criação artística: Carlos Romano

“Rostos do Mundo” é composta por seis rostos e seis poemas alusivos às personalidades escolhidas, distribuídos num contexto narrativo e cronológico. Três dos rostos são personalidades que fizeram algo marcante na zona do Intendente até ao séc. XX. As outras três figuras expressam o êxodo migratório vindo de África, da Ásia e da América a partir do séc. XX. O estilo pictórico escolhido é uma técnica realista e contemporânea, tirando partido da alegoria das cores e da multietnicidade característica.

AlmiranTONS

Desenho
Estação: Intendente / Átrio Sul (Poente)
Concepção e criação artística: Diego Bastos Cunha

– Lápis “cor de pele” ??
– Mas… cor de pele de quem? Se observar bem, até a minha própria cor de pele tem tons diferentes. A partir deste diálogo, inicia-se uma conversa sobre a razão de apenas um lápis entre tantos se chamar “cor de pele”. Cada criança é desafiada a encontrar o tom mais próximo da sua pele misturando as tintas preto, branco, vermelho e amarelo, cores por si só erroneamente associadas a ‘raças’ pelo ser humano.

Conversa de Vizinhos

Desenho
Estação: Intendente / Cais de embarque
Concepção e criação artística: Ricardo Jorge

A partir de cinco histórias de vida de vizinhos provenientes de países não europeus que habitam e/ou trabalham perto do Largo do Intendente Pina Manique, constrói -se uma narrativa comum que reflecte a nossa coabitação. “Conversas de Vizinhos” promove a convivência e o encontro com o outro, com o diferente, com o estrangeiro, dando lugar à sua representatividade no espaço público enquanto co-autores de painéis ilustrados.

O Céu Intendente

Desenho e fotografia
Estação: Intendente / Átrio Norte (Poente)
Concepção e fotografia: Fernando Belote
Desenho: Valentina Pibiri

Tríptico fotográfico, com desenhos de linhas, composto por três edifícios localizados nas imediações do Largo do Intendente, os quais representam o património material – simbolizado pela sua arquitectura – que está a sofrer alterações: quer pela sua preservação, quer pelo abandono ou pela reconstrução. Estas transformações permitem explorar novas visões do que nos rodeia.

Colours of Humanity

Escultura
Estações: Intendente / Átrio Norte (Nascente) e Alameda (Corredor, junto à passadeira rolante)
Concepção e criação artística: Sharmin Mowa

“Colours of Humanity” é um projecto artístico que procura explorar e colmatar as lacunas existentes entre espaços, culturas e a forma como estas são vividas e experienciadas,
abordando a expressão cultural como veículo de consciencialização sobre os mais variados temas. Numa exposição de máscaras tradicionais, as técnicas do Bangladesh reflectem particularidades de diferentes origens culturais.”.

Carimbaria

Composição de carimbos sobre papel e madeira
Estação: Anjos / cais de embarque
Concepção e criação artística: Keli Freitas


A partir de cinco histórias de vida de vizinhos provenientes de países não europeus que habitam e/ou trabalham perto do Largo do Intendente Pina Manique, constrói- -se uma narrativa comum que reflecte a nossa coabitação. “Conversas de Vizinhos” promove a convivência e o encontro com o outro, com o diferente, com o estrangeiro, dando lugar à sua representatividade no espaço público enquanto co-autores de painéis ilustrados.

Sinal de Alarme

Instalação visual
Estação: Intendente/ Átrio Sul (escadas)
Concepção: Zé Luís

O Sinal de Alarme espalha pelas escadas da estação do Intendente todas as palavras que viajaram na Linha Azul do Metropolitano de Lisboa, entre 2011 e 2012, numa instalação visual e secretamente sonora. “Amo o infinito porque só há certeza do início. FIM”.

A day in the market

Pintura sobre tela
Estação: Anjos / Átrio Norte (corredor Nascente)
Concepção e fotografia: Diala Brisly

CASA poderia significar muitas coisas e, quando penso em casa, penso no velho mercado tradicional sírio (souk Al-hamidiyeh) na velha Damasco com todas as suas loucuras, cores, cheiros e sons. Essa era a minha parte favorita para cumprir uma espécie de ritual de compras em dias feriados, enquanto os grandes centros comerciais e as lojas “franchisadas” da moda começavam a atacar a cidade.

Gente daqui, gente dali

Desenho
Estações: Anjos / Átrio Norte / corredor Poente
Concepção e criação artística: Lígia Fernandes

O mundo cabe inteiro no meu bairro. Este lugar que sempre foi para aqueles que são de fora, que acolheu os mouros, os portugueses de outras regiões e, agora, pessoas de todos os continentes e etnias. De manhã, gosto de me sentar na esplanada a ver passar as rotinas deste ponto de encontro de tantas formas de viver. Do desenho parte a conversa, a partilha de estórias, e cria-se um breve laço de intimidade. Este trabalho colectivo é uma pequena homenagem àqueles que trazem o mundo à cidade de Lisboa.

U-mailArt LisboA

Instalação
umailartlisbon.wordpress.com
Estação: Intendente / cabine ao nível do cais de embarque
Concepção e criação artística: Max Provenzano

Projecto performativo dividido em duas fases. Primeiramente, foram instaladas caixas de correio nas estações de metropolitano do Martim Moniz, Intendente, Anjos e Alameda. O artista desempenhou o papel de um carteiro, vestido a rigor, que informava os passageiros acerca da proposta e os convidava a participar, recolhendo diariamente os objectos depositados nas caixas do correio. Todo o material coleccionado foi processado e compilado, estando disponível aqui.

Inter-Rumores

Instalação
interrumores.pt/

Concepção: Ana Moya e Fernando Ramalho

“Inter-Rumores” corresponde à criação e produção de quatro composições sonoras concebidas a partir de uma recolha levada a cabo com 12 alunos, frequentadores da aula de Português Língua Não Materna. O trabalho materializa-se na instalação das composições sonoras, acompanhada por painéis de apresentação do projecto com um código QR de ligação à página interrumores, onde os utilizadores podem interagir com a história e os percursos sonoros dos participantes no projecto.