Arte
Alto dos Moinhos
Estação Rossio: posto de venda encerrado temporariamente devido a trabalhos de reparação.

Alto dos Moinhos

Partindo da ideia de homenagear quarto nomes das letras portuguesas, Camões, Bocage, Pessoa, Almada e, tendo presente que nos espaços públicos surgem de forma natural e espontânea graffitis, Júlio Pomar resolveu antecipar-se às mãos anónimas, colocando ai graffitis da sua própria autoria.

Diz João Castel-Branco Pereira: “Pomar dá corpo a um Camões guerreiro e galante, memorista de uma história pátria poeticamente ficcionada, em duelos medievais, exotismos do Oriente e amores fogosos em ilhas míticas. Um outro modo de ser português é o que o artista regista em Bocage, irreverente e sarcástico narrador de histórias burlescas, que contudo não deixa transparecer uma consciência tenebrística da vida.

Do século XX, representam-se duas figuras emblemáticas da nossa contemporaneidade: Fernando Pessoa e Almada Negreiros. O primeiro, personagem do drama moderno da impossibilidade do indivíduo ser um só, desmultiplicando-se em diferentes heterónimos, sentados em simultâneo à mesma mesa do café urbano. O segundo, cosmopolita, fazendo explodir a sua integridade na diversidade dos talentos, Arlequim dos seus desenhos, elegante citadino, apaixonado do ver, observador sempre atento”.

Arquitetura

Ezequiel Nicolau, 1988

Arte

Júlio Pomar, I988