Arte
Anjos
Estação Rossio: posto de venda encerrado temporariamente devido a trabalhos de reparação.

Anjos

Este revestimento azulejar, conjuntamente com o revestimento da estação Restauradores, constituem os únicos casos onde a autora incluiu elementos figurativos afastando-se um pouco da orientação que lhe tinha sido dada pelo Conselho de Administração. Com efeito, o padrão utilizado inclui um motivo, onde se “…reviveram as barras que decoram os prédios do princípio do século.”, nas palavras da autora.

Esta composição conjuga dois tipos de citações estilísticas completamente opostas. De um motivo abstrato e contemporâneo, que constitui o padrão básico de fundo, surgem inesperadamente barras de influência “Arte Nova” e, tal como já anteriormente tinha acontecido em Restauradores, existe aqui uma clara inspiração de teor historicista.

Em 1982 a estação foi ampliada, tendo sido aberto um novo átrio do lado Norte. O projeto de arquitetura esteve a cargo do Arq.º Sanchez Jorge e Rogério Ribeiro foi o artista convidado para criar os revestimentos, tendo optado por seguir uma orientação para a sua conceção plástica resultante da utilização do padrão básico que enquadra e serve de fundo às barras Arte Nova, do átrio Sul de Maria Keil. A partir do módulo base, constituido por um círculo marcado a branco sobre fundo a dois tons de azul, Rogério Ribeiro compôs uma construção totalmente diversa e inovadora.

Maria Keil e Rogério Ribeiro encontram-se assim, mais uma vez, no mesmo projecto, ainda que com intervenções distintas. Estes dois artistas haviam já colaborado quando da construção das estações do 1º escalão da rede. Rogério Ribeiro, por sugestão de Maria Keil, foi então encarregado dos revestimentos em azulejo da estação Avenida.

Arquitetura

Dinis Gome, 1966
Sanchez Jorge, 1982

Arte

Maria Keil, 1966
Rogério Ribeiro, 1982