Arte
Laranjeiras
Estação Rossio: posto de venda encerrado temporariamente devido a trabalhos de reparação.

Laranjeiras

A estação Laranjeiras, construida no âmbito da extensão da rede à zona de Benfica, abriu ao público em 1988. O projeto arquitetónico foi da autoria do Arq.º António J. Mendes e o tratamento plástico ficou a cargo do pintor Rolando Sá Nogueira com a colaboração do escultor Fernando Conduto.

Sá Nogueira, na sua trajetória criadora, passou a determinada altura a recorrer à fotografia enquanto método possível de obter uma representação hiper-realista. É dentro desta fase que se pode incluir o trabalho plástico da estação Laranjeiras. Na arte dos espaços públicos é corrente os artistas atenderem às especificidades dos locais para daí extrairem os temas para elaborarem os seus trabalhos. Neste caso houve uma interpretação literal do nome da estação.

Laranjeiras é o nome que a toponímia conservou, herança do que existiu no local, área de quintas de recreio, com os seus jardins à portuguesa que incluiam muitas vezes árvores de fruto, pomares de odores fortes, numa junção entre o belo e o prático. Sá Nogueira quis deixar marcado de forma duradoira todo esse passado que, com a voragem do tempo, desapareceu, surgindo em seu lugar mais um local de intensa atividade urbana

Este trabalho, realizado na Fábrica Rugo, recorre ao processo serigráfico para conseguir a transcrição de fotografias, trata-se de uma técnica habitualmente usada em produção industrial. Com esta intervenção plástica o processo de fabrico “em série” foi elevado ao plano de Arte.

Arquitetura

António J. Mendes, 1988

Arte

Rolando Sá Nogueira 1988
Fernando Conduto (colaboração)