Arte
Areeiro

 

Areeiro

 

Sobre um fundo formado por barras verticais verdes e brancas a toda a altura das paredes, criando um ritmo pulsatório na direção horizontal por meio da variação da largura das barras (um ou dois azulejos), a artista sobrepõe um ritmo ondulante vertical formado por fitas amarelas que serpenteiam do teto até ao chão. De onde em onde, uma alteração da modulação, quer vertical quer horizontal, introduz uma quebra destes ritmos dando maior vida a todo o conjunto.

Integrado no projeto de remodelação e ampliação da estação Areeiro, a 17 de novembro de 2013, entrou em funcionamento o novo átrio sul. Com intervenção arquitetónica de Alberto Barradas, o novo átrio conta com a artista Júlia Ventura, que realiza uma intervenção plástica sob o título genérico “ As Meninas” ao nível das paredes cobertas de azulejos (tímpanos e nas escadas entre o átrio/Sul  e o cais de embarque).

A intervenção artística tem caracter lúdico, utilizando imagens de crianças em situação de jogo e recriação. São imagens de meninas em situação “real” reproduzidas em tamanho natural que, dependente do motivo, do tipo de composição e da cor, tomam aspetos diversificados.

 

Arquitetura

Dinis Gomes, 1972
Alberto Barradas, 2013

Arte

Maria Keil, 1972
Júlia Ventura, 2013